O COTIDIANO DA ATUAÇÃO DO VIGÁRIO DA VARA NA COMARCA DO SERRO DO FRIO, MINAS GERAIS, 1714-1821

Palabras clave: Brasil colônia, Padroado real, Vigário da Vara, Comarca do Serro do Frio

Resumen

Analisa-se o papel do vigário da vara no cotidiano das relações sociais da Comarca do Serro do Frio, na Capitania de Minas Gerais. Demonstram-se os mecanismos de atuação do vigário da vara a partir do Regimento do Auditório (1704), originados pela queixa formal de um reclamante, a confecção das partes do processo com oitivas de testemunhas e o encaminhamento para o vigário-geral e para o bispo diocesano. A metodologia de investigação é a pesquisa bibliográfica e de documentos brasileiros e portugueses. O resultado da pesquisa surge nas etapas da narrativa; explicamos a atuação do vigário da vara de maneira cronológica, demonstrando como essa figura estruturava em torno de si o poder moralizador da Igreja católica.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana. Livro de Devassas, 1756-1757.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa. Denúncia de Francisco Paim da Câmara contra o padre José de Brito e Souza por perguntar na confissão o nome dos cúmplices, 1769, fl. 87-101v. Arraial do Rio Vermelho, Cód. PT-TT-TSO-IL-030-0319.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa. Sumario contra Fellipe Alz. de Almeida e outros, 1760, fl. 94-161v., Conceição do Mato Dentro.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa, 1753, fl. 217v.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa, Denúncia contra Antônio, preto, por feitiçaria e adivinhação, por curar muitas pessoas de malefícios, 1755, fl. 109, Antônio Dias, freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Cód. PT-TT-TSO-IL-030-0306.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa. Denúncia de Francisco Pereira, preto, escravo do capitão José Pereira de Carvalho [navio Nossa Senhora do Bom Despacho e São José] contra Antônio, preto, escravo, morador do Serro do Frio, 1748, fl. 243, Rio de Janeiro [Serro do Frio], Cód. PT-TT-TSO-IL-030-0298.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa. Denúncia de Luiz Pereira Pacheco [?] contra Suzana, negra, por feitiçaria e adivinhação, 1742, Morro do Pilar, Cód. PT-TT-TSO-IL-030-0296.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inquisição de Lisboa. Reclamação sobre engenhos sequestrados de cristãos novos no Tijuco e denúncia de padre mulato ordenado em Roma, filho de cristão novo Antônio Lopes de Leão, 1747, fl. 141, Rio de Janeiro [Tijuco], Cód. PT-TT-TSO-IL-030-0301.

Arquivo Pessoal Maria Eremita de Souza. Cadernos. Caderno [100] 14-04-1984 Tilibra Árvores, n.p.

Ávila, Affonso. O lúdico e as projeções do mundo barroco. Perspectiva, 1971.

Briskievicz, Danilo Arnaldo. A arte da crônica e suas anotações: história das Minas do Serro do Frio à atual cidade do Serro em notas cronológicas. (14/03/1702 a 14/03/2003). Revolução E-book – Simplíssimo, 2017.

Chartier, Roger. A história cultural: entre práticas representações. DIFEL, 1990.

---. A história ou a leitura do tempo. Autêntica, 2009.

Ginzburg, Carlo, et al. A micro-história e outros ensaios. Difel, 1989.

Hespanha, António Manuel. “O poder eclesiástico: aspectos institucionais”. História de Portugal. v. 4: O Antigo Regime (1620-1807), director José Mattoso, Estampa, 1993, pp. 287-290.

Martins, Natália Ribeiro. De Portugal às Minas do Ouro: a trajetória do cristão-novo Diogo Nunes Henriques (1670-1729). 2015. 160 fl. Dissertação (Mestrado Acadêmico) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, 2015.

Mesquita, Sônia Nunes, e Maria da Glória Seabra. Paróquia do Serro. História de fé. Edição das Autoras, 2013.

Pinto, Luiz Antônio. “Memórias municipaes. Arquivo da Câmara Municipal da Villa do Príncipe hoje cidade do Serro”. Revista do Arquivo Público Mineiro, n. IV, ano I, pp. 755-797, 1896.

Pires, Maria do Carmo. Juízes e infratores: o tribunal eclesiástico do Bispado de Mariana (1748-1800). Annablume, 2008.

Revista do Arquivo Público Mineiro. “Provisões, Patentes e Sesmarias 1717-1721”. Revista do Arquivo Público Mineiro, ano XXIV, 1933 (Códice 12 da Seção Colonial do Arquivo Público Mineiro).

Rodrigues, Aldair Carlos. Sociedade e inquisição em Minas colonial: os familiares do Santo Ofício (1711-1808). 2007. 241fl. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. https://doi.org/10.11606/d.8.2007.tde-22102007-112714

Salgado, Graça (coord.). Fiscais e meirinhos: a administração no Brasil colonial. Nova Fronteira, 1985.

Santos, Fabrício Forcato dos. A nódoa da luxúria sob a batina: confrontos entre clérigos seculares e paroquianos na Vila de Paranaguá no século XVIII. Revista Ágora, no. 8, 2008, pp. 1-30.

Senna, Nelson Coelho de. “Traços biographicos de serranos ilustres, já fallecidos, precedidos de um bosquejo histórico sobre a fundação da cidade do Serro (Minas Gerais)”. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, t. LXV (2ª parte), 1903, p. 333-374.

Souza, Laura de Mello e. O diabo e a Terra de Santa Cruz. Feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. 2. ed. Companhia das Letras, 2014.

Trindade, Raimundo. Archidiocese de Marianna. Subsídios para a sua história. Escolas Profissionais do Lyceu Coração de Jesus, 1928.

Vainfas, Ronaldo. Os protagonistas da história: micro-história. Campus, 2002.

Vide, Sebastião Monteiro da. Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia. Edusp, 2010 [1707].

---. Regimento do Auditorio Ecclesiastico, do Arcebispado da Bahia, Metropoli do Brasil e da sua Relação, e Officiaes da Justiça Ecclesiastica, e mais cousas que tocão ao bom governo do dito Arcebispado. Typographia 2 de dezembro de Antônio Louzada Antunes, 1853 [1704].

Villalta, Luiz Carlos. “A igreja, a sociedade e o clero”. História de Minas Gerais. As minas setecentistas 2, organizadores Maria Efigênia Lage de Resende, e Luiz Carlos Villalta, Autêntica; Companhia do Tempo, 2007, pp. 25-57.

Publicado
2020-12-14
Cómo citar
Briskievicz, D. (2020). O COTIDIANO DA ATUAÇÃO DO VIGÁRIO DA VARA NA COMARCA DO SERRO DO FRIO, MINAS GERAIS, 1714-1821. Revista De Historia Social Y De Las Mentalidades, 24(2), 41-68. https://doi.org/10.35588/rhsm.v24i2.4585
Sección
Artículos