A rainha Isabel de Aragão nas imagens do vinho do Porto: cartazes e rótulos

Palabras clave: vino de Oporto, carteles, etiquetas, reina Isabel de Aragón

Resumen

Los carteles y etiquetas del vino de Oporto portugués del siglo XX revelan la presencia de Isabel de Aragón en la marca Rainha Santa, mediante sus imágenes de marketing y comunicación. De la firma de Oporto Rodrigues Pinho / Rodrigues Pinho & Cª, que a su vez dio origen a Forrester & Cª LDA y a Sogrape Vinhos, que la trajo hasta nuestros días, la marca exhibe a Isabel de Aragón como uno de los principales íconos de la creación gráfica. En el campo de la Historia del Arte, la Empreza do Bolhão Lda. es inseparable en esta reflexión, gracias al trabajo estético realizado para la marca Rainha Santa, que el pintor Roque Gameiro desarrolló en el área de su publicidad. Otros diseñadores del mismo taller de impresión desarrollaron un legado que pervive hasta nuestros días.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Alexandre, R.S. (1960). Marketing Definitions: Glossary of Marketing Terms. Chicago, American Marketing Association.

Andrada, D.A. (1727). Sermaõ da Raynha S. Izabel sexta de Portugal: pregado em a Igreja do Real Convento de Santa Clara de Coimbra: assistindo em Prestito a Universidade em 4. de julho de 1727. Coimbra, Na officina do Real Collegio das Artes da Companhia de Jesus. Em <http://purl.pt/21835/service/media/pdf> (consultado o 16/04/2020).

Araújo, C., Neto, L. e Hansel Schsmitt, V. (2008). “O processo de gestão da marca Vinho do Porto: relevância da marca-país e dos aglomerados produtivos”. Revista de ciências da administração 10: 182-194.

Barata Soares, M.M. (2009). Identidade do Vinho do Porto pela Tradição da sua embalagem. Dissertação de Mestrado. Aveiro, Universidade de Aveiro.

Borges, I.C. do C. (2018). A Arquitetura Senhorial: matriz da sociabilidade, do poder e da cultura em Lamego nos séculos XVII e XVIII. Tese de Doutoramento em História da Arte, apresentada ao Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. 2 Volumes. Coimbra, Universidade de Coimbra.

British Library. The Portuguese Genealogy (Genealogia dos Reis de Portugal, 1530-1534) - BL Add MS 12531. Londres, British Library.

Cádima, R. e Freitas Santos, J. (2012). “The Portuguese Online Wine Buying Consumer”. EuroMed Journal of Business 7: 294-311.

Caramuel Lobkowitz, J. (1639). Philippus prudens Caroli V. Imp. Filius Lusitaniae Algarbiae, Indiae, Brasiliae legitimus rex demonstratus / A.D. Ioanne Caramuel Lobkowitz Religioso Dunensi Ordo Cister. Antuerpiae: ex officina Plantiniana: Balthasaris Moreti. Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal.

Casimiro dos Santos, L.A.E. (2004). A Anunciação do Senhor na Pintura Quinhentista Portuguesa (1500-1550). Análise Geométrica, Iconográfica e significado Iconológico. Tese de Doutoramento. Porto, Universidade do Porto.

Castro A. (ed.). (2007). A Coroa, o Pão e as Rosas. Catálogo do VII centenário do nascimento de Santa Isabel da Hungria. Coimbra, Confraria da Rainha Santa Isabel.

Catálogo. (2010). Imagens do Vinho do Porto. Rótulos e Cartazes. Peso da Régua, Fundação Museu do Douro.

Costa Marques, I.M. (2019). Isabel de Aragão, Rainha Santa, no período medieval e na atualidade, uma visão comparatista entre textos literários e historiográficos. Dissertação de mestrado. Lisboa, Universidade Aberta.

Delamare, G. (1984). Dicionário de termos técnicos de medicina. 20a edição. São Paulo, Andrei.

Fernandes, P. e Loureiro, N. (2011). “O Posicionamento da Marca Vinho do Porto no Panorama Nacional”. 5º Congresso Internacional de Gestão e Conservação da Natureza. Bragança, Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Regional.

Foucault, M. (2014). A Arqueologia do Saber. Lisboa, Edições 70.

Franco, A.C. (2011). “Isabel de Aragão”. Revista Cultura Entre Culturas 3: 84.

Lobo, T. (2001). Cartazes Publicitários. Coleção da Empreza do Bolhão. Lisboa, Inapa.

Nemésio, V. (2001). Isabel de Aragão, Rainha Santa. Texto Editores, Lda.

Nunes, J.J. (1921). “Vida e Milagres de Dona Isabel, Rainha de Portugal. Texto do século XIV, restituído á sua presumível forma primitiva e acompanhado de notas explicativas”. Boletim da Classe de Letras XIII. Coimbra, Imprensa da Universidade.

Pamplona, F. (2000). Dicionário de Pintores e Escultores Portugueses ou que trabalharam em Portugal. Volume III. 4ª edição. Livraria Civilização Editora.

Pharmacopea Portugueza. (1876). Pharmacopea Portugueza. Edição Oficial. Lisboa, Imprensa Nacional.

Ribeiro, F.M.M. (2016). Fatores críticos de sucesso na exportação de vinho português: o caso da Sogrape. Tese de Mestrado. Lisboa, Instituto de Arte, Design e Empresa – Universitário.

Ries, A. y Trout, J. (2002). Posicionamento, a batalha por sua mente. São Paulo, Person Education.

Sogrape Vinhos. (2018). Relatório de Sustentabilidade Ano 2017 (2018). Sogrape Vinhos SA.

Toipa Costa, H. (2020). Rainha Santa Isabel. Fontes para o seu estudo. Coimbra, Imprensa da Universidade de Coimbra.

Empreza do Bolhão. (1994). Uma imagem do vinho: catálogo da exposição de cartazes. Porto, Empreza do Bolhão.

Vasconcelos, M.J. (2009). Adegas de autor: produção Industrial, Turismo e Marketing. Dissertação de Mestrado. Porto, Universidade do Porto.

Veríssimo, J. (2008). O corpo na publicidade. Lisboa, Colibri e Instituto Politécnico de Lisboa.

Vicary, R. (1986). Litografia. Madrid, Hermann Blume.

PERIÓDICOS

Gazeta de Farmácia (1893). Lisboa, nº5, ano XI.

Jornal do Porto (15/05/1869). Porto, nº 109, ano XI: 4.

Jornal do Porto (29/06/1877). Porto, nº 145, 1877: 4.

Jornal do Porto (03/04/1889). Porto, nº 79, ano XXXI: 4.

Jornal do Porto (01/02/1892). Porto, nº 27, ano XXXIV: 2.

Jornal do Porto (03/02/1892). Porto, nº 29, ano XXXIV: 4.

FONTES DE ICONOGRAFIA

Arquivo da Confraria da Rainha Santa Isabel, Coimbra

Fotografias da caixa de esmolas da Rainha Santa Isabel. Oficina portuguesa, autor anónimo. Primeira metade do século XVII. Óleo sobre madeira, Inv. 734.

Arquivo Histórico Casa Ferreirinha. Vila Nova de Gaia

Cartaz “Rainha Santa, até os Anjos bebem!...”. Rodrigues Pinho & Cª, Gaia. Litografia Progresso, Porto, 1949, Inv. 0010.

Pasta 26 Documentos Forrester.

Rótulo “Rainha Santa. As rosas que se transformam em oiro!…” e “Porto Rainha Santa em sublime tesoiro!…”. Rodrigues Pinho.

Rótulo “Rainha Santa. Um brinde, às damas, com o Porto Rainha Santa”. Rodrigues Pinho & Cª.

Arquivo Histórico da Sogrape Vinhos SA

Rótulo de vinho do Porto Rainha Santa Porto Tawny.

Rótulo de vinho do Porto Rainha Santa Porto Branco.

Rótulo de vinho do Porto Rainha Santa Porto Tawny 10 Anos.

Arquivo Histórico Vininor, Viana do Castelo

Rótulo “Rainha Santa tinto aloirado dôce”. Rodrigues Pinho & Cª.

Arquivo do Museu da Empreza do Bolhão - Packigráfica - Grupo Higifarma. Nogueira da Maia

Cartaz “Rainha Santa. Porto delicioso”. Rodrigues Pinho, Gaia. Autor não identificado. Empreza do Bolhão, Porto. Cerca de 1930.

Cartaz “Rainha Santa. Saúdo o papá, com o Porto Rainha Santa!...”. Rodrigues Pinho, Gaya. Autoria de Roque Gameiro. Empreza do Bolhão, Porto. Cerca de 1920, Inv. 106.

Cartaz “Vinho do Porto, Rainha Santa. Nectar Celestial”. Rodrigues Pinho, Gaya, Porto, Inv.116.

Museu do Douro. Régua

Cartaz “Rainha Santa. Até os Anjos bebem”. Autor não identificado. Empreza do Bolhão, Porto, 1932.

Cartaz “Porto Rainha Santa. Este prolonga-nos a vida!...”. Autor não identificado. Empreza do Bolhão, Porto, 1934.

Rótulo “Rainha Santa. Rodrigues Pinho & Cª”. Litografia. © Coleção António Barreto, Museu do Douro, Porto, Inv. BAR1017.

Publicado
2020-09-22
Sección
Artículos