O Brasil e a fronteira norte: política e estratégia

  • Shiguenoli Miyamoto Universidade Estadual de Campinas
Palabras clave: Política exterior brasileña, defensa nacional, frontera amazónica, seguridad regional

Resumen

Desde os anos 80 o Brasil tem direcionado sua atenção para as fronteiras amazônicas. Mas quando fez isso, os motivos básicos foram em função do problema ambiental e da internacionalização da região. Atualmente pode-se dizer que, além desses, outras preocupações fazem parte da agenda da política externa e de defesa brasileiras. No texto procuramos mostrar como a nova conjuntura tem impactado a estratégia brasileira para essa parte do continente sul-americano.


Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Shiguenoli Miyamoto, Universidade Estadual de Campinas

Shiguenoli Miyamoto, Professor Titular em Relações Internacionais e Política Comparada, do Departamento de Ciência Política da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas (Brasil). Livre Docente pela Unicamp, Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa de Pos-Graduação em Relações Internacionais Unesp-Unicamp-PUC/SP. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq), nível 1B. Brasil.

Citas

Araujo Castro, Joao Augusto de (1972) “O congelamento do poder mundial”, Revista Brasileira de Estudos Políticos, Belo Horizonte, UFMG, Janeiro, Nº 33: 7-30.

Arruda, Antônio de Castro (1980), ESG – história de sua doutrina. São Paulo: GRD.

Castello Branco, Humberto de Alencar (1967), “Aula inaugural na Escola Superior de Guerra, em 13 de março de 1967”, Discursos 1967. Brasília: Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

CMMAD [Comissao Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento] (1988). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Correa, Hudson (2009) “Com Minc, governo dá 39% mais licenças ambientais”, Folha de S. Paulo, 10 de Janeiro: A-4.

Correia, General Antonio Jorge (1976) A influência da ESG no pensamento político estratégico das elites brasileiras. Segurança & Desenvolvimento, Rio de Janeiro, ADESG, XXV (163), p. 61-69.

Couto E Silva, Golbery do (1981) Conjuntura Política Nacional, o Poder Executivo & Geopolítica do Brasil, 3a. ed., Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora.

Domingos, João (2009). “Minc rebate crítica de Capobianco”, O Estado de S. Paulo, 9 de janeiro: A13.

Escobar, Herton (2009) “Lula não tem visão ambiental estratégica. Entrevista com João Paulo Capobianco, ex-secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente (MMA)”, O Estado de S. Paulo, 2 de Janeiro: A12.

Gonçalves, General Leônidas Pires (1989) Amazônia: ecologia e soberanía, Rio de Janeiro: ESG, mimeografado.

Grael, Cel Dickson M. (1985) Aventura, corrupção e terrorismo. À sombra da impunidade. Petrópolis: Editora Vozes.

Mackinder, Halford S. (1962) Democratic Ideals and Reality. 2.ª edição, New York: The Norton Library.

Mello, Leonel Itaussu de Almeida (1996) Argentina e Brasil. A balança de poder no Cone Sul. São Paulo: Annablume.

Ministério Da Defesa (2005) Política de Defesa Nacional. Brasília: Ministério da Defesa. Também em: https://www.defesa.gov.br/pdn. Acesso em 28 de dezembro de 2008.

MRE/Ministério Das Relações Exteriores (1966) A política exterior da Revolução Brasileira. Brasília: Seção de Publicações do MRE.

(1978) – Tratado de Cooperação Amazônica. Brasília, MRE.

(1989) – Resenha de Política Exterior do Brasil Nº 61. Brasília: MRE: 28-30.

OESP/O Estado De S. Paulo (1986) - Itamaraty e militares tem opiniões diferentes, 28 de outubro, p. 6. Apud MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES, Resenha de Política Exterior do Brasil, Brasília, MRE, edição suplementar, dezembro de 1986: 77-78.

PR/Presidência Da República (1971 – nova impressão) Metas e bases para a ação de governo. Brasília: IBGE.

(1975? – sem data) II Plano Nacional de Desenvolvimento (1975-1979). Brasília: IBGE.

(1989) Programa Nossa Natureza. Brasília: SADEN, fevereiro (versão mimeografada.

(1996) Documento sobre Política de Defesa Nacional Parcerias Estratégicas. Brasília: Centro de Estudos Estratégicos/Secretaria de Assuntos Estratégicos, vol. I, Nº 2: 7-14.

Saden [Secretaria de Assessoramento de Defesa Nacional] (1985) Desenvolvimento e segurança na região ao norte das calhas dos rios Solimões e Amazonas – Projeto Calha Norte. Anexado à EM 018/85, de 19 de junho de 1985, versão mimeografada. Brasília: CSN.

Sarney, José (1989a) Programa Nossa Natureza. Resenha de Política Exterior do Brasil, (1989), Brasília, MRE, Nº 61: 11-24.

(1989b) Discurso pronunciado na reunião dos presidentes dos países da região amazônica. Resenha de Política Exterior do Brasil (1989), Brasília: MRE, Nº 61: 25-27.

Walters, Vernon. 1994. “Castello Branco que eu vi”, in Meira Mattos, General Carlos de (Coord.) – Castello Branco e a Revolução. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora.

Sección
Artículos Misceláneos